Entrevista

Grupo de mulheres organiza ato contra casos de feminicídio em Três Lagoas

Em 2020 seis mulheres já foram mortas por seus companheiros ou ex-companheiros.

Redação
25/11/20 às 10h34
Hojemais de Três Lagoas

O crime de violência contra mulher vem crescendo cada vez mais em Três Lagoas, apenas neste ano de 2020 seis mulheres já foram mortas por seus companheiros ou ex-companheiros, além de vários boletins de ocorrência que são registrados diariamente.

Apesar de existir a medida protetiva as mulheres continuam a mercê da própria sorte, o estado de Mato Grosso do Sul é a região recorde no crime de violência contra mulher.

Vale ressaltar que a violência contra a mulher é todo ato lesivo que resulte em dano físico, psicológico, sexual, patrimonial, que tenha por motivação principal o gênero, ou seja, é praticado contra mulheres expressamente pelo fato de serem mulheres.

A violência contra a mulher pode ser praticada no âmbito da vida privada em ações individuais, exemplos disso são: o assédio, a violência doméstica, o estupro, o feminicídio e a violência obstétrica.

No Dia Internacional do Combate a Violência Contra a Mulher, dois atos estão previstos, o primeiro está acontecendo nesta manhã, onde cerca de 60 mulheres de encontraram reunidas na Praça Ramez Tebet onde reivindicam seus deveres e pedem justiça. Na ocasião um comitê público está sendo organizado para que os governantes sejam cobrados.

O segundo ato acontecerá ás 17h na Praça do Obelisco, localizada na Avenida Rosário Congro.

Thais Dias*.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM ENTREVISTA
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2021 - Grupo Agitta de Comunicação.