Saúde e Bem estar

Menino precisa de R$60 mil para medicamento contra dor

Ele tem apenas 13 anos e atualmente toma nove remédios diários que não fazem efeito.

Redação
07/10/20 às 08h00

Em junho de 2019 o menino Kauan, de 13 anos foi diagnosticado com tumor no tronco cerebral, ele fez cirurgia, radioterapia e teve sua vida drasticamente mudada pela doença.

Antes ele era um menino muito ativo, com a mãe, Daiana Luiza da Luz, educadora física, ele amava a prática esportiva, fazia futebol, natação e jiu-jitsu – onde havia ganhado algumas medalhas. Mas em um dia normal de treino ele passou mal, sentiu dor e vomitou, após duas semanas indo e vindo do hospital e pronto socorro conseguiram o diagnóstico, e a luta do menino Kauan, infelizmente, saiu dos tatames.

Hoje ele está na cadeira de rodas e toma nove medicamentos diários, três deles para a dor que é constante, mas que não fazem efeito.

“Ele fez o tratamento em no Hospital do Câncer em Barretos, hoje faz apenas o acompanhamento paliativo lá”, explicou a mãe.

Vendo o sofrimento do único filho, os pais decidiram buscar um tratamento ortomolecular. Mas para conseguir esse tratamento, que minimizará o sofrimento de Kauan – principalmente com relação as dores - é preciso de no mínimo R$ 60 mil reais ao ano, ou seja, R$5 mil reais ao mês.

Infelizmente este é um tratamento que o Sistema Único de Saúde (SUS) não cobre, pois, os dois medicamentos necessários são importados.

“Conseguimos a liberação da importação pela Anvisa, com essa liberação estamos organizando para entrar na justiça para que a União custeie os medicamentos, pois o Kauan precisará deles por toda vida”, contou Daiana.

Unidos para ajudar

O pequeno Kauan precisa do medicamento com urgência, com muita dor diária ele não pode esperar a burocracia judicial.

Por isso a Equipe de Corredores Sub4 Runners se comoveu com a luta de Kauan e promoveu uma vaquinha virtual. Quem puder ajudar com qualquer quantia deve entrar nesse LINK e doar.

E o grupo vai além, em dezembro irão realizar uma corrida beneficente para arrecadação, a data ainda não está definida, mas será na Cascalheira e terá todos os cuidados sanitários necessário.

Solidariedade não tem distância

Kauan não é de Três Lagoas, ele é da cidade de Lençóis Paulista, mas para ser solidário a esse menino não é necessário estar perto, a doação pode ser feita de qualquer lugar do Brasil e do Mundo.

Doe aqui!

Emily Custódio - Hojemais de Três Lagoas*

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM SAÚDE E BEM ESTAR
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.