Saúde e Bem estar

Coronavírus sobrevive até 28 dias em celular, diz estudo

O mesmo tempo vale para o dinheiro

Bruna Taiski
15/10/20 às 07h06

O novo coronavírus pode sobreviver em superfícies como celulares, notas de dinheiro e aço inoxidável por até 28 dias, de acordo com um estudo publicado no periódico científico Virology Journal. O período é muito mais longo do que se pensava anteriormente e reforça a necessidade de desinfetar superfícies e lavar as mãos constantemente.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores do Centro Australiano de Preparação para Doenças (ACDP, na sigla em inglês) realizaram experimentos com o SARS-CoV-2 em ambiente controlado. Como estudos anteriores mostraram que a luz ultravioleta pode reduzir a sobrevivência do vírus, os testes foram realizados no escuro. 

Os resultados mostraram que a uma temperatura ambiente de 20ºC, o SARS-CoV-2 permanece ativo por 28 dias em superfícies lisas, como telas de celulares e notas de dinheiro. Já o vírus da gripe, por exemplo, pode sobreviver apenas 17 dias nas mesmas circunstâncias.

Conforme a temperatura aumenta, seu tempo de sobrevivência diminui. A 30º C, a taxa de sobrevivência caiu para sete dias e a 40º C, o vírus sobreviveu apenas 24 horas. Ele também sobreviveu menos tempo em superfícies porosas, como o algodão. Os pesquisadores ressaltam que o experimento não foi realizado em condições naturais, já que o tempo todo estava escuro, mas alertam que os resultados comprovam a importância de higienizar as mãos e superfícies.

Embora a principal forma de transmissão do coronavírus seja por meio do contato direto com gotículas de pessoas doentes e por aerossóis, também é possível contrair a Covid-19 ao tocar em superfícies infectadas.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM SAÚDE E BEM ESTAR
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.