Saúde e Bem estar

RETINOBLASTOMA: Saiba como identificar

Tipo de câncer virou assunto recentemente

Rara Gente - Da redação
09/06/22 às 09h45

Os jornalistas Tiago Leifert e Daiana Garbim falaram na mídia sobre o drama que eles têm vivido desde o final do ano passado. A filha do casal, Lua, de 1 ano e três meses, está com câncer nos dois olhos. 

Ambos compartilharam as informações para que mais pais possam ficar alertas aos primeiros sinais do problema. Lua tem retinoblastoma, um tipo de câncer raro que acomete em 90% dos casos crianças com até três anos de idade. 

A oftalmologista pediátrica Cinthia Storti explica que o surgimento deste tipo de enfermidade é um dos principais motivos pelas quais é importante as crianças passarem por exames oftalmológicos regularmente.  

Segundo ela, o retinoblastoma é tão comum em meninos como em meninas e é caracterizado por um supercrescimento dos foto receptores da retina. “Não conseguimos vê-lo facilmente por que ele fica dentro do olho”. 

É possível que a doença atinja ambos os olhos ou apenas um. Sua classificação (que vai de A à E) é feita através do tamanho do tumor e de sua localização. A letra “E” significa um estágio já avançado.

Cinthia explica que não só o retinoblastoma, mas também outras patologias podem ser descobertas de forma precoce através do teste do ollhinho, feito nos bebês ainda recém nascidos. “A Sociedade Brasileira de Oftalmopediatria recomenda que o exame seja feito com até 72 horas de vida e repetido pelo menos duas ou três vezes até os 3 anos pelo pediatra. De 6 meses até um 1 ano de vida a criança já pode passar por um exame oftalmológico completo. Com idades entre 3 e 5 anos é preciso fazer outra checagem completa”.

Além do retinoblastoma a visita ao médico especializado pode ajudar a identificar ainda graus altos de óculos, glaucoma e catarata congênitos. Cinthia revela que estas patologias podem deixar marcas para o resto da vida.  

  IDENTIFICAÇÃO E TRATAMENTO

Além do movimento irregular do globo ocular, há outras formas de verificar se há algo errado com os olhos da criança. Um dos sinais é chamado pelos médicos de “olho do gato”. “Há problemas se houver um reflexo de esbranquiçado”, diz a médica. Outro sinal é o estrabismo; os pequenos começam a ficar com os olhos tortos.  Cinthia fala que o tratamento pode ser feito de várias formas através de crioterapia (congelamento do tumor), radioterapia, quimioterapia ou até cirurgia. “Tudo vai depender do estágio da doença e do local em que está”.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM SAÚDE E BEM ESTAR
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.