Saúde e Bem estar

INTESTINO: o segundo cérebro do corpo humano

O apelido se deve à enorme quantidade de neurônios e de neurotransmissores que o órgão possui. Não é à toa que o bom funcionamento do intestino deixa a gente de bom humor

Rara Gente - Daniela Galli
12/05/22 às 08h00

Que o cérebro controla todas as funções do corpo já não é mais nenhuma novidade. Porém tem um outro órgão que é capaz de funcionar sozinho sem que o ‘mandachuva’ dê alguma ordem. Trata-se do intestino que, devido à quantidade de neurônios e de neurotransmissores, pode ser considerado o segundo cérebro.

Ele possui, na verdade, meio bilhão de neurônios e mais de 30 neurotransmissores. Por isso o intestino trabalha com o sistema nervoso entérico, que possui seus próprios circuitos neurais a controla diretamente o sistema digestivo.

É lá que ocorrem todas as etapas mais importantes da digestão, desde a absorção de alimentos até a formação do bolo fecal. O intestino produz ainda neurotransmissores e hormônios fundamentais para o funcionamento do organismo.

Não é à toa que todos ficam mais bem humorados quando o órgão funciona regularmente. Isso acontece porque o intestino é responsável por 50% de toda a dopamina e 90% de toda a serotonina presentes no organismo. Quando o trânsito intestinal não está muito bom, além de problemas gastrointestinais, podem ocorrer ainda alguns transtornos emocionais.

Para que isso não aconteça, a ingestão de fibras é primordial, todavia não é a única medida viável para que o intestino funcione bem. É preciso ter uma dieta equilibrada e evitar o consumo de alimentos industrializados em excesso, assim como aqueles que possuem muito sal, açúcar e gordura saturada e trans. Este tipo de alimento contribui para o crescimento de bactérias patogênicas. Também é necessário tomar bastante água para que as fibras cumpras sua função de forma adequada, caso contrário, elas ficam ‘preguiçosas’ e podem causar constipação. Outra dica é dormir bem e reduzir o nível de estresse.

Os iogurtes e os leites fermentados podem dar uma boa ajuda porque contém lactobacilos e, quando ingeridos em quantidade suficiente, chegam até o intestino e melhoram a nossa flora intestinal.

A quantidade de evacuações, para um intestino considerado saldável, varia de pessoa para pessoa. O ideal é que elas ocorram, pelo menos, três vezes por semana e no máximo três vezes ao dia. O indivíduo que cuida da sua alimentação, hidrata-se de maneira aquedada e mesmo assim tem problemas para evacuar, deve consultar um médico especialista para investigar as causas da constipação.

O FRIO NA BARRIGA

Sabe aquela sensação de ‘frio na barriga’’? O intestino também é responsável por ela e não só o cérebro como costuma-se pensar. A sensação ocorre devido a uma descarga rápida de adrenalina no organismo. Trata-se de um hormônio que diminui a circulação de sangue na região do abdome e influencia ainda a contração do estômago.  Ele, por sua vez, libera uma quantidade maior de ácido no corpo.

A adrenalina funciona também como uma espécie de mecanismo biológico quando nos sentimos ameaçados. Como um instinto de sobrevivência, é ela quem prepara o organismo para se defender ou atacar. Isso acontece quando há um risco real ou não.

O nosso corpo prepara sua própria defesa sem necessitar da nossa ajuda. É ele quem regula a frequência cardíaca, o fluxo sanguíneo e a distribuição de nutrientes. Quando isso acontece, o sangue que anteriormente circularia pelo intestino para ele funcionar normalmente, passa a ser redirecionado para os músculos, braços e pernas. Aí o fluxo das fezes diminui e a sensação é de que estamos com borboletas no estômago, ou o famoso ‘frio na barriga’.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM SAÚDE E BEM ESTAR
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.