Lifestyle

BBB 22: Por que o programa da Globo chama tanto a nossa atenção?

Até quem jura que não assiste a atração está sempre dando uma “espiadinha”

Revista Rara Gente - Daniela Galli
20/01/22 às 09h32

A edição de 2022 do Big Brother Brasil já começou e toda a web está de olho, assim como muitas pessoas que não perdem um único episódio da atração. Até aqueles que criticam a programação da TV aberta sempre dá um jeito de dar uma “espiadinha. É quase impossível, nesta época do ano, permanecer “imune” ao início do BBB. Desde o começo de 2022, as redes sociais foram inundadas de propagandas do programa. A especulação de quem entraria ou não também arrebanhou o interesse de bastante gente. 

Depois de 20 anos e com 21 edições, pode-se dizer que a atração atingiu definitivamente a maioridade. O BBB 21 não ganhou o apelido de “big dos bigs” a toa. De acordo com uma publicação da revista Quem, o programa alcançou quase 40 milhões de pessoas, com média de 27 pontos de audiência, nível superior às últimas sete edições. 

O grande recorde foi registrado no dia 23 de fevereiro, na noite em que Karol Konká foi eliminada: 36 pontos de acordo com o Painel Nacional de Televisão. Esta foi a maior audiência registrada desde março de 2015. 

Mas por que será que o BBB chama tanto a atenção das pessoas assim? Segundo a psicóloga Letícia Queiroz, isso não acontece por acaso e não é somente pelo entretenimento que ligamos a televisão. “Muitas pessoas acabam se identificando com as histórias de vida dos participantes, suas dores, vivências, relatos e às vezes espelham algumas atitudes nossas ou mesmo se lembre de algum membro da família. Com isso projetamos conteúdos internos”.

Ela garante ainda que a pandemia também influenciou muito no comportamento de “consumo” dos telespectadores. “As pessoas estão mais fragilizadas e constantemente o entretenimento faz com que elas ‘fujam’ da realidade, mesmo que de forma momentânea”. Outro fator que contribui para que a audiência aumente ainda mais é o fato de que, além da empatia e da identificação com os participantes, é que estamos sempre de olho no que o outro faz. “Por vezes é mais fácil olhar o comportamento alheio do que aquilo que precisa ser modificado em nós mesmos”, explica Letícia.

 

NÃO É POR ACASO

Como se trata de um programa de televisão na maior emissora de TV aberta do país, nada do que acontece ali é por acaso; tudo é milimetricamente pensado para que haja mais audiência e com isso maior retorno financeiro para os patrocinadores. 

A psicóloga garante que isso envolve até a escolha de todos os participantes. “É feito um pré julgamento de todos que vão entrar na casa. Quando há pessoas famosas gera expectativas. A escolha, possivelmente, é feita a partir da probabilidade de haver casais, ‘panelinhas’, rivalidade, brigas e até discórdias. Isso assegura a atenção do público e a popularidade do BBB”.

É PRECISO TER CUIDADO

Aqueles que não despregam os olhos da telinha devem cuidar para que o programa não altere nossos comportamentos. “Como, por exemplo, conflitos por não aceitação de opiniões contrárias, julgamentos, descontrole emocional, extremismo, excessos e possíveis gatilhos”, diz a profissional.

“Devemos ter um olhar mais atento sobre até que ponto está sendo saudável e funcional acompanhar o reality show, já que há pessoas que ficam tão envolvidas que acabam deixando de lado coisas e momentos importantes. É preciso ainda saber diferenciar o que é do outro e o que é nosso, pois aquilo que nos incomoda no outro diz muito mais respeito a nós mesmos”.

Mesmo assim Letícia diz que é possível aprender com o BBB se observamos as atitudes na casa “mais vigiada do Brasil”. “É uma forma de fazer uma autoanálise, dos nossos pensamentos, julgamentos, erros e acertos, assim como também do tipo de pessoas que somos e queremos ser”.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM LIFESTYLE
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2022 - Grupo Agitta de Comunicação.