Lifestyle

"Eu perdoo vocês de todo o meu coração", diz Michael após sofrer homofobia por igreja

O professor participou de uma live com a Gente e contou tudo sobre o caso. Confira!

Bruna Taiski
20/07/20 às 14h25
Arquivo Pessoal

O professor de História, Filosofia, Sociologia, poeta e ativista pelos Direitos Humanos, Claudemberg Michael Lima Costa, vive pela fé e apesar de ter sido ridicularizado dentro da igreja da cidade onde residiu - Santo Anastácio, interior de São Paulo – acredita no poder do perdão. Na última semana, Claudemberg participou de uma live emocionante com a Gente no instagram, onde foi abordado o tema "Fé e discriminação".

Em 2014, o professor sofreu homofobia e foi humilhado após ter se assumido homossexual. “Me senti reduzido a minha sexualidade. Minha história, contribuições e minha fé de nada valeram”, comentou o professor. 

O fato não é recente, mas retrata, fielmente, a realidade vivenciada, ainda nos dias de hoje, por muitas pessoas. Segundo o relatório divulgado pelo grupo Gay, da Bahia, em 2019, 329 LGBT+ morreram no Brasil, violentamente, vítimas da homotransfobia.

“Me senti reduzido a minha sexualidade. Minha história, contribuições e minha fé de nada valeram”, comentou Michael.

A história teve repercussão nacional depois que o padre Júlio Lancellotti, monsenhor e pároco da Igreja São Miguel Arcanjo, no bairro da Mooca, na cidade de São Paulo, mandou para o jovem uma mensagem de acolhimento em uma das suas missas transmitidas na internet. “Ninguém pode achar que homofobia vem de Deus, LGBTfobia é crime”, disse o Padre, e completou, “E, atenção, Padres e pessoas que humilham pessoas LGBTs, isso é crime”. Padre Lancellotti, é bastante conhecido em todo o Brasil por defender grupos tidos como “minoritários”.

O vídeo rapidamente se espalhou, em poucas horas, o trecho da missa compartilhado por Manuela D’ Ávilla, que foi candidata a vice-presidente do Brasil em 2019, teve mais de 18 mil curtidas. Xuxa Meneghel, Thiago Lacerda , David Miranda e outros famosos também se comoveram e compartilharam a história.

Durante a live, Claudemberg Michael contou que na época foi muito difícil, pois foi repreendido nas celebrações e outros eventos religiosos, sendo exposto, muitas vezes, a atos vexatórios. Sua família também foi perseguida. “Foi muito difícil ver a minha família sendo desrespeitada, ridicularizada. Nós tivemos pessoas ditas ‘amigas’ que se afastaram da gente depois desse fato”, contou Claudemberg Michael.

Professor Claudemberg deixou mensagens muito bonitas e um posicionamento digno de verdadeiro cristão. “Ninguém nasce odiando uma pessoa, a gente aprende a odiar, e se a gente pode aprender a odiar, a gente também pode aprender a amar”.

Ao final da entrevista, mais uma vez, o jovem demonstrou um olhar carinhoso com aqueles que pecaram, o ofendendo e discriminando. “Eu perdoo vocês de todo o meu coração, e, espero que sejam mais humanos. Estão todos perdoados” – Professor Claudemberg Michael.


*Colaborou Thiago Miyazaki Simão*

Assista a live

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM LIFESTYLE
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.