WEBTV Rara Gente

Geovana procura pelo pai para transplante de medula

Entenda o caso que ganhou o Brasil nas últimas semanas 

Matheus Renary
25/08/20 às 11h30

Neste mês de agosto o vídeo de uma criança três-lagoense ganhou a internet brasileira. Com mais de 970 mil visualizações e incontáveis compartilhamentos, o video postado na rede social Instagram da pequena Geovana Dias da Silva, de 12 anos, narra sua história com a Disceratose Congênita e a Aplasía Medular, bem como sua busca por um doador de medula compatível.

Recebemos na redação da Rara Gente a pequena Geovana, junto de sua mãe Neuci Luzia Dias da Silva, acompanhadas da advogada Victória Helena Carraro, assesora jurídica que acompanha o caso, para uma entrevista exclusiva. Asseguramos que todas as medidas de biosegurança recomendáveis foram tomadas com o intuido de preservar o quadro de saúde das entrevistadas e equipe presente. 

Neuci Luzia Dias da Silva, Geovana e Victória Helena Carraro, advogada que assiste juridicamente o caso.

O diagnóstico

Segundo Neuci Luzia, Geovana foi diagnosticada aos 9 anos, 3 anos após surgimento dos primeios sintomas - manchas "café com leite" na pele e atrofia das unhas. "Desde então passei a procurar médicos para descobrir o que eram as manchas de pele e porque as unhas dela atrofiaram. Aqui em Três Lagoas não tivemos resposta, fomos   para Campo Grande onde também não houve uma conclusão de diagnóstico. Neste período, entre muitos questionamentos e poucas respostas, conheci uma pessoa nas redes sociais que nos encaminhou para São José do Rio Preto, no estado de São Paulo, onde ela ficou internada 30 dias e só então foi diagnosticada", diz a mãe.

A pequena Geovana sofre de Disceratose Congênita associada a Aplasia Medular. A Disceratose é uma desordem degenerativa rara, caracterizada pela pigmentação da pele, unhas atróficas, leucoplasia e falência da medula óssea – tecido liquido-gelatinoso que preenche a cavidade interna de vários ossos e fabrica os elementos figurados do sangue como as hemácias, leucócitos e plaquetas.

A aplasia na medula óssea é uma das formas mais severas de aplasia, termo usado para descrever uma falha no desenvolvimento de tecidos ou órgãos. O paciente com a doença não produz as células sanguíneas em quantidades suficientes, necessitando receber transfusões para controlar a anemia grave.

Segundo estudos científicos, a probabilidade de localizar um doador compatível é de 1 para 100 mil, sendo maior entre os parentes de primeiro grau. No entanto, Neuci e a irmã de Geovana não são compatíveis. Acredita-se que o genitor da menina possa ser 100% compatível, e assim salvar a vida da pequena. 

"Ela não podia passar pelo transplante de medula em São José do Rio Preto, então foi encaminhada para Ribeirão Preto", diz Neuci sobre a única chance de salvar Geovana. Devido a pandemia, a menina faz as transfusões aqui em Três Lagoas até aparecer um doador compatível.

Assistência jurídica

O escritório Carraro & Barros Associados tomou conhecimento da história de Geovana por meio do vídeo publicado na rede social Instagram no domingo, dia 16 de agosto. "Nós vimos, nos sensibilizamos e entramos em contato com a professora Maisa para nos colocarmos à disposição da família para dar assitência administrativa e judicial para localizar o possível genitor", diz Victória Carraro.

Durante a entrevista a advogada destacou que possíveis doadores de todo o Brasil estão entrando em contato com a família, além de indivíduos que acrediram ser o genitor da menina. Ainda segundo Victória, a muitas pessoas tantaram contato alegando possuir o telefone e endereço do genitor de Geovana, além de pessoas que se valem de abordagens invasivas na tentativa de coletar informações sobre a família e o quadro clínico da criança, e ela enfatiza: "concentramos todos os contatos no escritório, onde filtramos e determinanos o que pode ou não ser feito".

" Nossa intenção não é expor a intimidade da família, contar histórinhas, ou coisas do gênero. Nossa intenção é unicamente o conteúdo do vídeo da Geovana: localizar o pai ou um doador de medulaqu seja compatível. Seja o pai Geovane, ou outra pessoa do Brasil que seja compatível e possa doar". Diz ela.

Como ajudar

Ao pedirmos um recado para os leitores e seguidores da Rara Gente, Geovana sensibilizou todos os presentes: "Gente, doem medula. Mesmo se não for compatível comigo, você pode ser compatível com outra pessoa".

Os interessados em ajudar a Geovana, e muitas outras crianças que necessitam de doação de medula óssea, podem procurar o hemocentro mais próximo para doar uma pequena quantidade de sangue (10ml) e realizar o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Com a colaboração de Thaís Dias.

Gostou da entrevista? Nos siga nas redes sociais para mais conteúdos como este.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM WEBTV RARA GENTE
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.