Moda

Perigo! Óleo de coco pode ‘fritar’ o cabelo: saiba o porque

Veja a explicação da especialista em fios e couro cabeludo Carina Meneguelli

Bruna Taiski
20/10/20 às 08h01
Reprodução

Óleos geralmente são usados para nutrir e recuperar fios danificados. Mas qual o resultado quando essa substância é aplicada no cabelo e, logo em seguida, recebe a exposição do sol? O cabelo frita! Isso mesmo. Ao invés de nutrir, a pessoa pode ficar com um cabelo extremamente ressecado, quebradiço e poroso — é o que garante a especialista em cabelos Carina Meneguelli.

“Evite usar óleos junto à exposição solar, ou calor, pois pode ocorrer o efeito contrário do desejado: fritar o cabelo, aumentando ainda mais o ressecamento”, alerta ela.

"Já aconteceu com uma cliente. Mais uma vez as youtubers ensinando a usar o óleo de côco e essa pessoa viu e passou no cabelo para hidratar. Em seguida ela saiu no sol, o cabelo cozinhou e caiu todo! Depois ela foi ao salão resolver, mas eu não tinha mais o que fazer. Ele derreteu, virou um algodão", relata.

Isso acontece principalmente com os óleos vegetais, como o óleo de coco, já que a substância não passa por nenhum refino e não é misturada com outros ativos, como o silicone — um poderoso aliado para domar os fios. Assim, ao invés de proteger a fibra capilar, o óleo de coco deixa o cabelo mais exposto. Não é só a pele que sofre com a exposição ao sol, os cabelos também sofrem danos muitas vezes irreparáveis. Quanto mais expoxto ao sol, mais profundamente o fio ficará ressecado. A pele se regenera, já o cabelo, não, e é aí que aparecem as famosas pontas duplas, o fio perde a resistência e a fibra acaba quebrando, tudo por conta da falta de proteção necessária.

"O aspecto de brilhoso é só um reflexo. Óleo de côco serve para comer, não para passar no cabelo, para isso existem os produtos próprios. A pessoa precisa entender que os cabelos são fios, fibras, eles possuem cutículas que se assemelham a escamas de peixe. O óleo tem uma molécula 100x maior do que o tamanho dessas escamas. Então não tem como entrar nos fios".

"São moléculas muito diferentes, o óleo só vai deixar o cabelo pegajoso, a pessoa irá lavar várias vezes para tirar esse resíduo e só irá agredir cada vez mais o couro cabeludo".

+5 hábitos que estragam o cabelo

1 – Esfregrar os fios durante a limpeza. O ideal é que o cabelo seja lavado em todo seu comprimento, dando mais atenção ao couro cabeludo, sem fazer atrito.

2 – Não usar condicionador ou leave-in nos cabelos. Um erro que muitas vezes as pessoas acabam não percebendo. Ao não passar esses produtos, a cutícula do fio fica aberta, exposta a radicais livres. Uma boa dica é sempre repassar o leave-in ao longo do dia e deixar o cabelo sempre protegido e sem frizz.

3 – Utilizar água quente para enxaguar os fios. Geralmente pessoas que têm raiz oleosa dão preferência à água quente, mas isso acaba ressecando ainda mais as escamas.

4 – Dormir com o cabelo molhado. Não é que seja proibido, mas não faz bem para a saúde dos fios, principalmente se estiver preso.

5 – Trocar os produtos de proteção solar capilar por chapéu ou boné. Além de abafar o couro cabeludo, os cabelos não ficam protegidos contra os raios ultravioletas que causam tanto dano à pele e aos fios.

 RECOMENDADO PARA VOCÊ
EM DESTAQUE AGORA
VEJA TODOS OS DESTAQUES
ÚLTIMAS EM MODA
RARA Gente - A mais tradicional revista de Três Lagoas
Editor responsável:
Ivete Binda Mendonça
agitta@agitta.com.br
Todos os direitos reservados © 1999 - 2020 - Grupo Agitta de Comunicação.